TECNOLOGIAS NA COLETA SELETIVA NO BRASIL: UMA PERSPECTIVA ANTROPOTECNOLÓGICA

Renato Luvizoto Rodrigues de Souza, João Alberto Camarotto

Resumo


A problemática que envolve a gestão dos resíduos sólidos é um tema que vem ganhando cada vez mais destaque na literatura. O Brasil, destaque internacional por desenvolver meios para integrar à gestão de resíduos as cooperativas de catadores, instituiu a Política Nacional dos Resíduos Sólidos para regulamentar as responsabilidades da cadeia de reciclagem. A partir desta política, os munícipios devem desenvolver meios para a coleta, tratamento e destinação dos resíduos com inclusão de cooperativas de catadores. Esse artigo tem por objetivo relacionar as tecnologias na coleta seletiva com a perspectiva da antropotecnologia. Para atingir o objetivo foram utilizados estudos na literatura sobre a organização do trabalho e as tecnologias utilizadas na coleta seletiva. Conclui-se que para desenvolver os planos municipais de resíduos sólidos, os gestores públicos devem incorporar às lógicas dos diferentes atores que compõe a cadeia de reciclagem e, principalmente, a lógica presente no trabalho das cooperativas que realizam a coleta seletiva.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.