A UTILIZAÇÃO DA ERGONOMIA NA CONCEPÇÃO DE NOVOS PRODUTOS – POR UMA ESTRATÉGIA DE MARKETING NA AÇÃO ERGONÔMICA

Marcello Silva e Santos, Francine Pamponet Pereira

Resumo


Esse artigo, fruto de um projeto de iniciação científica, partiu de uma indagação: até que ponto as pessoas reconhecem a ergonomia como uma disciplina fundamental para o desenvolvimento e aprimoramento de produtos. Segundo Dul (2012), os profissionais de ergonomia tem sido coniventes com uma prática – proposital ou não – de isolar-se a Ergonomia como partícipe da melhoria de produtos existentes e do desenvolvimento e projeto de novos produtos. Segundo o autor, a não- comunicação da contribuição da Ergonomia no desenvolvimento de conceitos e ideias que são incorporadas aos produtos, fazem desaparecer a importância da Ergonomia do contexto de criação dos mesmos. Por exemplo, o desenvolvimento do aplicativo “Swype”, que permite que as palavras sejam escritas com o deslizar do dedo sobre a tela de um dispositivo digital é exemplo de participação de ergonomistas, que sempre visaram uma solução para o incômodo processo de digitação de mensagens de textos em pequenas superfícies. Situações equivalentes são encontradas no histórico de evolução na indústria automotiva. A iluminação gradativa dos painéis, a eliminação de adornos cromados na linha de visão do motorista e o aumento da amplitude de regulagem dos assentos são exemplos de avanços surgidos na esteira da evolução da ergonomia como disciplina e prática de suporte ao projeto de produtos. Enfim, esse artigo busca encontrar respostas para justificar esse distanciamento entre a Ergonomia e a percepção pelo mercado de seus resultados práticos, ao menos via uma reflexão.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.