Cenário para formulação de sistemas de sustentabilidade para Istiophoridae e sua ictiofauna acompanhante no litoral norte do Estado do Rio de Janeiro/BR

Eduardo Pimenta, Geraldo Lima, José Cláudio Cordeiro, Marcelo Tardelli, Marcelo Fernandes

Resumo


O artigo objetiva detalhamento das áreas de ocorrência para definição de bases contratais de uso para as diferentes atividades que possuem interfaces com a carta de pesca e os níveis tróficos. Configura-se então, uma ação ergonômica e antropotecnológica em uma busca da adaptação da tecnologia à produção e preservação proposta por Vidal, em 1990 através do GENTE/COPPE/UFRJ sobre o universo da pesca e do pescador e materializada com a criação do grupo de estudos da pesca, o Gepesca. Na gestão são respeitados o potencial e as limitações dos ecossistemas e das pessoas envolvidas, não os tratando isoladamente. Para isso, buscou-se na metodologia participativa para projetos educacionais e tecnológicos, a opção pela Pesquisa-Ação proposta por Thiollent em 1997.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.