ERGONOMIA COMO RECURSO TERAPEUTICO PARA ACOMETIDOS DE DOENÇA DE ALZHEIMER: ESTUDO DE CASO SOBRE ADEQUAÇÃO DE MOBILIÁRIO.

Felipe Eugenio Kich Gontijo, Maria Aparecida Pascale

Resumo


A Doença de Alzheimer (DA) tem sido objeto de estudos entre pesquisadores e seu enfrentamento diário trouxe aspectos desafiadores em relação aos possíveis recursos de tratamento. Por não ter cura definitiva até o presente momento, os cuidados ocorrem de forma paliativa e generalista. As pesquisas indicam que aspectos do ambiente físico podem ser usados como importantes recursos terapêuticos no tratamento da DA. Este estudo com base em fundamentação teórica identifica a utilização da cadeira de balanço enquanto elemento do mobiliário como um recurso em potencial de apoio no melhoramento do comportamento do acometido de DA, pois os principais sintomas da doença são agitação e agressividade. A pesquisa analisou a presença e utilização da cadeira de balanço em cinco clinicas geriátricas residenciais da cidade de Florianópolis que atendem idosos acometidos de DA. A sugestão final deste estudo é propor o uso de uma a cadeira de balanço ergonomicamente adequada no ambiente físico de convívio do acometido para contribuir no tratamento diário por parte de cuidadores e/ou familiares.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.