EFEITO DA REESTRUTURAÇÃO DO AMBIENTE DE TRABALHO SOBRE A SAÚDE DE TRABALHADORES ADMINISTRATIVOS: IMPLANTAÇÃO DE OPEN-PLAN OFFICES

Cristiane Shinohara Moriguch, Gabriela Salomé Nunes, Amanda Magdalena Ferroli, Raísa Marques de Sousa, Michele Elisabete Rubio Alem, Roberta de Fátima Carreira Moreira

Resumo


O trabalho em equipe tem sido cada vez mais incentivado, refletindo até mesmo na organização do ambiente ocupacional. Objetivando facilitar a interação tem-se observado adaptações ambientais na substituição de salas individuas por open-plan offices. Este modo de organização é usualmente apontado como benéfico quanto à organização do trabalho em equipe e na redução dos custos, entretanto, os trabalhadores tendem a resistir à alteração devido à percepção negativa que possuem. O presente estudo objetivou avaliar os efeitos da reestruturação organizacional em escritórios por meio da implementação de open-plan offices sobre os aspectos psicossociais do trabalho e suas repercussões sobre a capacidade de trabalho e qualidade de vida dos trabalhadores envolvidos em uma indústria de médio porte. Foram aplicados os questionários Índice de Capacidade para o Trabalho, WHOQOL-bref e Escala de Estresse no Trabalho em 84 trabalhadores no período pré-modificação, sendo 55 trabalhadores reavaliados no período pós-modificação. Os dados coletados apresentaram distribuição não-normal pelos testes de Kolmogorov-Smirnoff e foram comparados pelo teste não-paramétrico de Wilcoxon. A associação dos dados pré e pós-modificação foi analisada pelo teste de Fischer. O estudo permitiu verificar que a mudança organizacional do modelo tradicional para o modelo open-plan office não mostrou alteração da capacidade para o trabalho ou da qualidade de vida dos trabalhadores. Entretanto, resultados positivos foram encontrados quanto aos aspectos psicossociais do trabalho, principalmente em relação ao controle sobre o trabalho.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.