PERCEPÇÃO DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO E SAÚDE PELOS AGENTES PENITENCIÁRIOS DO PRESIDIO MASCULINO DE FLORIANÓPOLIS/SC

Fabíola Reinert, Lizandra Garcia Lupi Vergara, Leila Amaral Gontijo

Resumo


Este artigo apresenta um estudo de caso feito com os agentes penitenciários do Presídio Masculino de Florianopolis/SC. Partindo-se das hipóteses de que a saúde do trabalhador é amplamente influenciada pela sua condição de trabalho e que o trabalho em presídios contribui para a incidência de problemas de saúde, foi investigada a real percepção dos agentes penitenciários sobre seu trabalho e saúde, a partir da técnica de análise do conteúdo, utilizando entrevista guiada. O estudo desenvolvido enfatiza que o tipo de trabalho e seu conteúdo elevam o nível de stress dos trabalhadores analisados, sendo que a falta de segurança gera medo e desconfiança, revelando problemas na organização e no processo de trabalho. Entretanto, uma análise mais profunda da condição de trabalho é fundamental para compreender como o trabalhador lida com as características do trabalho, as estratégias que encontra para solucionar os problemas e o quanto o contexto de trabalho influencia em sua saúde.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.