CONDIÇÃO DE TRABALHO, DANOS, CUSTOS E RISCOS FÍSICOS PARA SAÚDE DE TRABALHADORES EXPOSTOS A BAIXAS TEMPERATURAS: CÂMARAS FRIGORÍFICAS

André Roberto Schiehl, Luiz Alberto Pilatti, Maria Helene Canteri, Letícia Lorena Vasconcelos

Resumo


A produção industrial no Brasil em frigoríficos está em constante crescimento, gerando milhares de empregos, sendo hoje o país um dos principais exportadores de carnes do mundo. Os frigoríficos possuem setores nos quais os trabalhadores devem executar suas atividades expostos a baixas temperaturas (-35 ºC a 10 ºC). Um dos objetivos desta pesquisa foi analisar quantitativamente o sofrimento dos trabalhadores, com relação aos fatores condições de trabalho, danos e custos físicos em áreas frias em um frigorífico de grande porte de um município do interior do Paraná. Indicar qualitativamente os principais riscos inerentes às atividades executadas em baixas temperaturas, nessa mesma empresa, foi outra meta estabelecida. Na pesquisa qualitativa foram entrevistados por especialistas dezesseis colaboradores diretamente no local de trabalho visando identificar os riscos e as medidas de controle dessas atividades. Os resultados da fase quantitativa foram obtidos por meio da participação de 178 funcionários, através da aplicação dos questionários do instrumento ITRA – Inventário sobre Trabalho e Riscos de Adoecimento, contemplando três fatores (condições de trabalho, danos e custo físico) nesta pesquisa. Os principais resultados demonstram que para o fator condição de trabalho, todos os itens analisados foram classificados no nível crítico; para o custo físico, houve predominância de respostas que indicam a classificação crítica e com relação aos danos físicos, a avaliação se mostrou mais heterogênea. A temperatura nem sempre é a variável que contribui para o sofrimento dos trabalhadores, com influência estatisticamente significativa em seis itens do fator custo físico e sem efeito sobre condições de trabalho ou dano físico.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.